Aumenta o fosso entre rapazes e raparigas no sucesso escolar

  • Publicado em Atualidade

É sabido que em média as raparigas têm melhores desempenhos escolares do que os rapazes, mas em Portugal esta tendência está a acentuar-se no 3º ciclo e no ensino secundário. É o que mostram os dados sobre os chamados percursos diretos de sucesso divulgados nesta quinta-feira pelo Ministério da Educação (ME).

Para o ME, um aluno com um percurso direto de sucesso é aquele que, cumulativamente, não chumbou em nenhum dos anos do seu ciclo de escolaridade e que obteve positiva nos principais exames. No conjunto dos alunos, estes casos de “percursos limpos” ainda são a minoria, embora estejam a aumentar. Como também aumentou o fosso entre rapazes e raparigas neste indicador. 

No ensino secundário a diferença entre eles e elas passou de sete pontos percentuais em 2015/2016 para 10 pontos em 2016/2017. No 3º ciclo, a diferença que separa uns e outros subiu, num ano, de nove pontos percentuais para também 10. No concreto: 47% das raparigas conseguiram, em 2016/2017, concluir o 12º ano com um percurso direto de sucesso — ou seja, não chumbaram nem no 10º, nem no 11º ano e tiveram positiva nas principais provas finais no 12º. Os rapazes saíram-se pior: apenas 37% conseguiram um percurso livre de chumbos.