Guimarães recebe especialistas em Educação e Medicina Regenerativa

  • Publicado em Atualidade
Esta quinta-feira

O PubhD UMinho traz os Estudos da Criança e a Medicina Regenerativa à cidade de Guimarães. O PubhD (pub de bar e PhD de doutoramento) é um movimento de divulgação da ciência que surgiu em Nottingham (2014) e chegou a Portugal em 2015 (Lisboa). Em 2016, por iniciativa do STOL - Science Through Our Lives, do Departamento de Biologia da Universidade do Minho, o PubhD começou a realizar-se, alternadamente, nas cidades de Braga e Guimarães. A entrada é livre.

Como é costume a cada dois meses, a iniciativa PubhD UMinho estará presente no Círculo de Arte e Recreio para mais uma conversa informal com duas cientistas. O encontro esta marcado para quinta-feira, pelas 21 horas, e promete levar dois temas de Ciência "traduzidos por miúdos" a todos os presentes.

De que forma os profissionais que lidam com crianças com necessidades especiais conseguem melhorar a vida das famílias? E qual o potencial das células estaminais na regeneração de tecidos? 

Patrícia Fernandes é recém doutorada do Centro de Investigação em Estudos da Criança (CIEC) da Universidade do Minho, onde se focou no ensino especial, mais propriamente na forma como funciona a Intervenção precoce dos profissionais da zona Norte. O objetivo foi perceber quais as metodologias usadas em crianças que necessitam deste apoio, na faixa dos zero aos seis anos de idade. 

O grupo de Investigação 3B's (Biomaterais, Biodegradáveis e Biomiméticos) faz-se agora representar na cidade berço, após a presença na recente sessão, em Braga. Alexandra Brito é a protagonista da Medicina Regenerativa que estuda as "células estaminais indiferenciadas", ou seja, células capazes de se transformarem virtualmente em qualquer tipo de célula. Ao recolher células estaminais presentes nos ossos para que sejam usadas na regeneração mais eficiente em caso de lesão, abre caminho à substituição de próteses e contorna muitas das suas desvantagens (por exemplo, as diversas intervenções cirúrgicas necessárias para troca de componentes ao longo do tempo).

[ Artigo originalmente publicado no dia 13.12.2016 e atualizado esta quinta-feira, 15.12.2016 ]