13ª edição da RoboParty termina este sábado na Universidade do Minho

  • Publicado em Atualidade
Com mais de 500 participantes

A Universidade do Minho e a botnroll.com organizam até este sábado, 9 de março, a RoboParty, com mais de 500 participantes vindos de todo o país e ilhas. O evento pedagógico ensina a criar robôs móveis autónomos de forma simples e animada. Esta 13ª edição decorre no pavilhão desportivo do campus de Azurém, em Guimarães.

A maioria dos participantes é da faixa etária dos 15 aos 18 anos, sendo que o mais novo tem 8 anos e o menos novo tem 74 anos. Como curiosidade participa uma equipa da Universidade Sénior Dom Sancho I (Almada) onde o elemento mais novo tem 67 anos. No início do evento, as equipas recebem um kit em peças do robô "Bot'n Roll One A". Segue-se a formação básica em eletrónica, programação e mecânica para permitir a construção do protótipo, num ambiente de entreajuda e com apoio permanente de 110 voluntários estudantes de Engenharia Eletrónica Industrial e Computadores. Na sexta-feira e sábado há desafios robóticos, onde os participantes põem os seus robôs à prova, para demonstrar as suas capacidades. Estas provas não têm qualquer intervenção humana, e consistem em três desafios: obstáculos, corrida e dança, sendo que este último decorre no sábado às 14h30 e tem sempre muito público, pela sua espectacularidade.

No final do evento os participantes levam os robôs consigo.

Ao longo dos três dias non-stop (os jovens trazem saco-cama), tiveram lugar múltiplas atividades lúdicas e desportivas, como apresentação de gadgets, atuações de DJ, torneios de xadrez, ténis de mesa, lançamentos de basquetebol jogos tradicionais, demonstrações de Kickboxing e "internet wireless". As últimas 12 edições contaram com mais de 5000 jovens entusiastas com vontade de se divertir a aprender tecnologias (eletrónica, programação e mecânica).

Os sites oficiais são www.roboparty.org e www.facebook.com/RoboParty.

As principais novidades deste ano, são as demonstrações de robôs móveis, e as formações acreditadas para os professores (Inteligência Artificial e a Visão por Computador em Python).