«De forma muito meritória deve-se aos jogadores este comportamento e este resultado»

  • Publicado em Desporto
Ivo Vieira analisou a goleada do Vitória sobre o Ventspils

O técnico do Vitória mostrou-se bastante safisfeito com a goleada imposta ao Ventspils (6-0), que confirmou a presença no «play-off» da Liga Europa. Contudo, Ivo Vieira refere que há aspetos do jogo em que a equipa tem que melhorar, referindo que no futebol é preciso mais consciência e equilíbrio.

“É apenas uma passagem temos de estar focados agora no próximo jogo. Não procuro recordes, procuro que a equipa seja melhor, ataque muito e seja competitiva. Sinónimo disso é o número de golos marcados. Os adversários que tivemos eram acessíveis em termos de dimensão em relação ao Vitória, mas teve de haver muita seriedade, muito trabalho, muita competência dos jogadores”, referiu.

“O nosso adversário tinha mais de 20 jogos nas pernas, com rotinas adquiridas. Devemos valorizar o que fizemos, por muito mais fortes que fôssemos teoricamente. Fomos mais fortes na prática. Tínhamos de mostrar isso em campo. Há exemplos teóricos em que os fortes ganhavam fora de campo e tiveram dissabores”.

“De forma muito meritória deve-se aos jogadores este comportamento e este resultado. Bem conseguido o resultado, mas podíamos ter sido melhores na qualidade e em alguma organização defensiva, porque permitimos algumas situações ao adversário que não devemos, porque podemos ser feridos nesses momentos do jogo. Nos últimos 15 minutos estávamos a atacar com laterais, com médios quase de uma forma desalmada, senti que todo o mundo queria fazer o gosto ao pé. O futebol precisa de mais consciência e equilíbrio”, afirmou o treinador do Vitória.

“Tenho a minha forma de trabalho e não vou comparar a opinião dos meus colegas de profissão à minha (quanto ao volume de jogos no calendário). Oxalá, o Vitória continue a jogar a meio da semana e no fim da mesma”, afirmou.

“O adversário que nos calhar [no 'play-off'] será o mais forte daquela eliminatória (entre o Steaua de Bucareste, da Roménia, e o Mladá Boleslav, da República Checa).

“O departamento médico vai dar mais informações quanto à lesão do Joseph. Não tenho conhecimento profundo sobre essa matéria”, quando questionado sobre a lesão do médio.

“Pela carga de jogos podemos fazer algumas alterações, temos jogadores muito competitivos e de um nível semelhante, mas com uma distância de praticamente uma semana, num microciclo normal de Liga Europa para Liga Europa, havia espaço para repetir o onze e ganhar mais rotinas. Mas todos sabem que isto não é sinal de titularidade ganha”, concluiu Ivo Vieira.