Crise já deixou 16 mil jovens sem trabalho em Portugal

  • Publicado em Atualidade

altA crise fez disparar a taxa de desemprego dos jovens portugueses para 22,7%, acima do dobro da taxa global. Os mais novos foram, assim, atingidos com particular força pela recessão, em Portugal e no resto do mundo, diz a OIT, que avisa para consequências sociais.

Boa parte das conclusões da Organização Internacional de Trabalho, num estudo sobre o desemprego jovem, é comum à generalidade dos países, incluindo Portugal: durante a crise, os jovens até aos 25 anos de idade foram os mais afectados pela falta de trabalho, ficaram sujeitos a piores condições laborais e, mesmo que tenham mantido o emprego, viram aumentar a probabilidade de ficarem pobres.

A organização internacional prevê, ainda, que a recuperação do emprego, por parte dos jovens, demore mais tempo do que entre os adultos.

Em Portugal, o número de jovens desempregados disparou, de 84 mil para 100 mil, desde o início de 2008 até ao primeiro trimestre deste ano (só na terça-feira o INE divulgará dados para o segundo semestre). Em consequência, a taxa de desemprego entre as pessoas com menos de 25 anos de idade passou de 16,4% para 22,7% - mais do dobro da taxa global de desemprego (10,6%).